sábado, 31 de dezembro de 2011

Quem sair por último, apague a luz…

Ultimo dia do ano … última chance de viver 2011…                                                   Tempo de reflexão…exame de consciência…balanço …                                               Será que alcançamos os objetivos traçados há um ano atrás, quando cansados dos dissabores passados, nos enchíamos de esperanças ante um novo recomeço?             Ou, mais uma vez brincamos de prometer rever nossos erros, melhorar nosso temperamento, levantar os olhos do próprio umbigo e nos dar a oportunidade de enxergar as necessidades do próximo?  Todos somos ótimos em firmar compromissos, jurar de pés juntos que vamos mudar e… pouco depois… esquecer.  Parece que o deus Tempo nos agraciou com uma memória seletiva, frágil para as obrigações, forte para cobranças.

Para equilibrar, também nos concedeu o dom mágico do recomeço. Assim vivemos em ciclos, erramos, mas nos resta sempre a possibilidade de “levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima”.  E nada como o começo de um novo ano, quando as forças do Universo se unem, as pessoas emitem pensamentos de esperança, amor e paz, para começar de novo. Pensando em renovação cultivei meu jardinzinho da calçada apenas com plantinhas que ,embora sem valor comercial, são belas e simples e possuem uma capacidade imensa de se renovar a cada estação.

Em um dia estão viçosas, noutro nem tanto, mas estão sempre lá, alegrando e diferenciando minha entrada. Para mantê-las não preciso de jardineiro ou custosos tratos culturais. Para vencer as adversidades  elas criaram mecanismos de adaptação e talvez me agradeçam a atenção, já que é cada vez mais raro ver um jardim com plantas despretenciosas, que não seguem as tendências do momento, que  têm suas sementes espalhadas pelos pássaros e pelo vento. Trago comigo essa forte tendência de amar as coisas simples,  mas  ao mesmo tempo,resistentes.

Odeio retrospectivas, e parece que todo fim de ano se alastra uma febre das mesmas, relembrando principalmente tragédias. Não, definitivamente jogo no time dos que olham em uma só direção, no meu caso, para frente, para o futuro. Por isso no último dia do ano dou uma olhadinha, só de relance , para o que consegui concluir ,das metas traçadas  no ano anterior , agradeço a Deus a força que recebi e pronto. Arregaço as mangas, traço novos planos e vou em frente.

Prá dar uma mãozinha à sorte, vou saborear minhas sementes de romã, à meia-noite, continuando assim a tradição de minha mãe, que nunca deixou de fazê-lo. De onde estiver sei que olhará por mim e amará a romanzeira que dediquei a ela e que está carregada de belos frutos.

A todos vocês que me aturaram  durante esse ano que se finda o meu abraço de paz e meu beijo de esperanças num ano muito melhor que certamente virá, já que tudo novo é maravilhoso!

Tenho certeza que Deus nos cobrirá de infinitas bênçãos e guiará nossos caminhos no novo ano.E como ninguém é de ferro aí vão umas trufas e castanhas para ajudar ainda mais a sorte.

Feliz 2012 para todos!

Patchwork da Mommy



...um lugar para se falar de patchwork, quilt, receitas culinárias,gatos, plantas e o que mais vier...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...