sábado, 31 de março de 2012

B.O.M. Sunbonnet

 

Aqui estamos com a primeira Sunbonnet do mês de abril, veio celebrar o outono, reparem bem no vestidinho dela, não nos dá a impressão que o vento está farfalhando sua saia? Também empreguei essas cores, com o lilás lembrando os campos de lavanda, porque a lavanda sempre me lembra dos aromas outonais.BOM Sunbonnet0001

Só para lembrar mais uma vez que a imagem do desenho é sempre espelhada, coloquei as duas perto, o risco e o bordado já montado. Se quiser que a garotinha fique virada para o outro lado é só virar o risco, ou tirar uma fotocópia usando a função espelhada.

Bordei as florezinhas com ponto haste e ponto margaridinha, mas cada um deve fazer conforme seu gosto, colocando fuxiquinhos ou botõezinhos também fica muito interessante.

Como é bem simples o que vai acrescentar graciosidade e beleza é a escolha correta dos tecidos a serem empregados.

 

 

D'Artagnan e Jolie 003

  A única coisa difícil aqui é tentar escrever um post com o D’Artagnan me vigiando, ora sentado no meu colo, ora com as mãos em cima do teclado deletando o que escrevi. Ainda bem que agora resolveu se deitar na frente do monitor, menos mal. Se dentro de alguns minutos não encerrar, ele mia bem alto mostrando que é hora de dormir e ele não suporta ficar sozinho na cama.

quinta-feira, 29 de março de 2012

Geléia de acerola

 

Continuando a fartura de acerolas passei para a fase de geléias. Testei algumas receitas que não me deixaram satisfeita. Resolvi inventar uma à minha moda. Colhi as acerolas maiores e mais maduras ,geralmente as pessoas destinam às geléias as frutas com pior apresentação e qualidade, utilizando o açucar para mascarar qualquer deficiência. Parti do princípio contrário, escolhi as mais doces com a intenção de diminuir a quantidade de açucar para o mínimo indispensável.

Lavei bem as frutas e levei ao fogo baixo, em uma panela com água suficiente para cobrí-las.  Depois de 5 minutos de fervura, despejei em uma peneira e aproveitei a água resultante do cozimento para fazer uma calda. Medi 250 ml e acrescentei 225 g de açucar cristal orgânico, mexi para dissolver bem e levei ao fogo baixo até engrossar um pouco. Não vou mencionar pontos de calda porque sei que algumas pessoas não tem prática nesse assunto. Mais adiante farei um post sobre o assunto..

 

Despejei as acerolas cozidas em uma tigela e fui tirando os caroços, deixando a polpa o mais inteira possível, é um trabalho de paciência, muito bom para exercitar essa virtude tão importante. Depois de todas as sementes retiradas coloquei a polpa na calda e deixei por mais alguns minutos até engrossar e adquirir um brilho maravilhoso.

Ficou deliciosa, ácida na medida certa, , com pedacinhos da fruta proporcionado textura. Servi com pão integral com nozes.

Bolo embrulhado

 

Numa época de bolos com cobertura tão elaboradas, principalmente as modeladas com pasta americana, ainda me rendo aos tradicionais bolos de aniversário, embrulhados em papel alumínio, gelados e bem molhadinhos, recobertos com coco ralado  ou chocolate granulado. Nada de pratinhos, comia-se no papel mesmo e quem quisesse levava para casa o pacotinho, para ser devorado no outro dia.

Fazia-se uma caixa toda enfeitada, com o tema da festa e o parabéns era cantado ali. O bolo ficava guardado na geladeira até a hora de servir, o que convenhamos é muito mais correto nesse país tropical. A pasta americana proporciona enfeites lindos, mas o bolo fica à temperatura ambiente, quase sempre um grande calor, e a gente ainda tem que ficar empurrado a cobertura para o lado para saborear o bolo.

Para matar essa saudade de bolo de antigamente resolvi fazer no aniversário de meu neto João Victor. Procurando nas receitas de minha mãe, vi que o nome do bolo é Torta embrulhada, e entre parênteses estava escrito, própria para aniversários. Nada tão verdadeiro.

Ingredientes

6 ovos grandes

500g de açucar cristal

600g de farinha de trigo para bolos

250 ml de leite quente

1 colher de manteiga

1 colher de fermento químico ( 14g )

Bater os ovos inteiros com o açucar até duplicar de volume. Juntar então misturando delicadamente, o leite com a manteiga dissolvida, alternando com a farinha de trigo. Por último acrescentar o fermento. Forno médio, tabuleiro untado e enfarinhado. Pessoalmente uso forrar o tabuleiro com papel manteiga para facilitar na hora de desenformar e cortar os quadradinhos.

Calda

1 litro de leite

1 lata de leite condensado Nestlé

3 colheres de amido de milho

200nl de leite de coco

1 lata de creme de leite

Dissolver o amido de milho no leite condensado, acrescentar o leite e levar ao fogo baixo, mexendo até engrossar  e cozinhar. Tirar do fogo, acrescentar o leite de coco e o creme de leite. Deixar esfriar bem. Cortar o bolo em pedaços iguais, passar na calda e depois no coco ralado. Enrolar no papel alumínio e guardar na geladeira.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Viver feliz, eis a questão …

 

D'Artagnan e Jolie 032

  Há alguns dias quando abri a minha janela notei uma manchinha branca de aparência indefinida entre as folhas de uma calanchoê.  Debrucei-me para ver mais de perto e descobri uma linda aranhazinha tecendo sua teia. Não resisti e fotografei, era tão pequena que além do zoom, ainda tive que ampliar para que ficasse mais visível. Era amarelinha, com braços ( ou serão patas ?), cor de laranja  e tecia uma teia completamente branca. Não com fios transparentes, mas brancos, opacos. Estava ali, sem se importar com o mundo ao seu redor, envolvida consigo mesma, fazendo o que mais gosta e sabe fazer.

Para alguns seria algo sem importância, mas para mim foi como um sinal, um sinal do que seria minha vida daqui prá frente. E passei esses poucos dias meio que ensimesmada, como um mago tentando decifrar sinais nas estrelas do céu.

E afinal chegou… . Neste 28 de março completo 60 anos e posso me dar ao luxo de dizer que este é o primeiro dia do resto de minha vida.

Há algumas décadas atrás seria considerada uma anciã, no máximo uma simpática velhinha , com os cabelos brancos presos num coque e  discretamente vestida esperarando pacientemente a morte chegar. Quando penso nisso me dá arrepios. Se tivesse que viver naquela época seria uma revolucionária porque definitivamente não conseguiria me enquadrar.

Mas, graças a tanta gente que veio antes de mim, abrindo caminhos, hoje posso me dar a esse luxo. Não pensem que acordei hoje, sacudi minha varinha de condão e virei outra.  Toda transformação demora e é dolorosa. Sou hoje o resultado de anos de aprendizado na escola da vida .Estou me deliciando com a primeira colheita das muitas que certamente virão, como resultado da semeadura que deixei espalhada na trilha que percorri para chegar até aqui.

Nas primeiras décadas de nossas vidas precisamos nos preparar para o futuro, estudando, trabalhando, amealhando . Formando família, criando a família, encaminhando a família e por aí afora. De repente tudo passa e chega a tal síndrome do ninho vazio, não sei quem inventou isso, mas não faz muito o meu estilo, por isso pulei essa.

Estou entrando direto na síndrome da liberdade total e irrestrita, onde o que conta é a qualidade de vida. O medo fugiu pela janela aberta desde que aprendi que tem remédio prá tudo e se não tiver ainda, alguém vai inventar. O que importa é explorar o desconhecido porque o tempo urge e nada melhor do que se aventurar “ por mares nunca dantes navegados “.  E sigam-me os que forem brasileiros, ou melhor destemidos  e que não receiam mergulhar de cabeça na grande aventura da vida sem compromisso com outros e sim apenas consigo mesmo .

 

Essa é minha gata Jolie, que também não se importa com mais nada além de viver. Tem algo mais importante que viver e viver plenamente enquanto se pode? Se alguém souber, por favor, me avise.

sábado, 24 de março de 2012

Limitações

 

Gostaria de escrever todos os dias, nas felizmente Deus me deu algumas tarefas “para casa”, na forma de pequenos percalços a vencer. E é nesses momentos que consigo reavivar minha fé, perceber que não sou infalível, que não consigo fazer tudo ao mesmo tempo e que não sou, afinal, tão senhora do meu destino, e principalmente dos meus braços.

Depois de uma semana de farta colheita de acerolas, que devido ao calor amadureceram mais rápido e não paravam de surgir, veio a parte de lavar e secar tudo, transformar em polpa, superlotar o freezer. Passei então aos sorvetes e depois à geléia já que sinto uma enorme necessidade de testar novas receitas. Bom, o resultado é que os braços se negaram a continuar e como não conseguia digitar, bordar ou costurar, aproveitei para montar outros quadros e rever minha idéias para novos projetos.

Terminei a semana fazendo bolo para o aniversário do João Victor, que segundo ele disse, com a boca cheia, um pedaço em cada mão, ficou uma delícia.  Domingo vou saber se os convidados também vão aprovar.

Como só preciso testar um pouco minha paciência, semana que vem certamente, postarei tudo o que não consegui nesta.

terça-feira, 20 de março de 2012

Denis, o Pimentinha

 

Perdi a conta de quantas vezes assisti Denis, o Pimentinha, é um dos meus filmes preferidos e ainda tem o maravilhoso Walter Matthau com seu talento incomparável. Aqueles dentes de chicletes me faziam rir até às lágrimas. E a flor que só durava 30 segundos? Claro que essa parte foi invenção, nenhuma flor é tão rápida assim , não daria tempo de ser polinizada.

. Pesquisei exaustivamente desde que comecei a receber e-mails perguntando se essa flor não  poderia ser a mesma do filme.A minha flor, rainha-da-noite, é considerada um cacto-orquídea, talves por só florescer uma vez a cada ano. Tem um diâmetro de aproximadamente 20cm, é branca com nuances amarelas no miolo e seu formato reflete perfeitamente a luz da lua, não sei ainda se essa é a razão dela abrir em noite de lua cheia.flor exótica 030 

Tem agradável perfume e a luminosidade que ela reflete tem por objetivo atrair os polinizadores. Abre ao anoitecer e fenece ao amanhecer. Dura portanto só uma noite. Já a flor do filme, segundo minha pesquisa só floresce 2  ou 3 vezes em cerca de 40 anos , que é o tempo de sua existência, dura 2 dias e tem o cheiro de carniça. Como é que alguém pode admirar uma flor com cheiro de carniça? Prefiro nunca conhecer essa tal flor, o nome dela é  amorphophallus titanum e é originária de Sumatra. Atualmente é cultivada em alguns jardins botânicos e quem já teve a oportunidade de vê-la florescer diz que o cheiro é insuportável.

flor-cadaver-cheiro-podre

Parece que é a maior flor do mundo, chegando a pesar 75 kg.

Como tem gosto prá tudo, pode até haver pessoas que a admirem.

Também é conhecida com o nome de flor-cadáver.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Acerolas

 

acerolas 001

Tem gente que torce o nariz quando se fala em acerola, e eu dou a maior razão. Também já fui uma dessas. Quando essa fruta passou a ser difundida e suas qualidades exaltadas, mormente a grande quantidade de vitamina C, provei o suco e achei com gosto de água suja. Como sou teimosa, insisti, mas depois de algum tempo cheguei à conclusão que não valia a pena a relação gosto x benefícios. Risquei o suco de acerola do meu cardápio e só voltei a provar quando uma amiga me ofereceu misturado com maracujá. Gostei e passei a adquirir as polpas para misturar com outras frutas. Como achava a árvore muito bonita, resolvi comprar uma muda e plantei em um vaso. Na época não tinha ainda um “ um pedaço de chão para chamar de meu “

Em pouco tempo ela se transformou em uma arvoreta, mudei para um vaso maior e ela frutificou e os frutos era gostosos e não ácidos e sem graça como os que conhecia. Pronto fui conquistada para sempre. Hoje essa aceroleira não mora mais comigo, mudou-se para a casa de uma de minhas filhas e está bem feliz lá.

Em compensação tenho outra sombreando a janela de minha cozinha. Já estava na casa quando me mudei, plantei outra ao lado para fazer companhia e elas alternam a frutificação.

Mas depois que passei a ter minhas próprias acerolas descobri porque antes não gostava do suco. É que era cheio de água e açucar. Tenho orgulho do meu suco de acerola, é bem encorpado, só ponho água o suficiente para processar e não fico lavando as sementes como já vi fazerem. Peneiro e dou a polpa que sobra para as galinhas que também precisam de antioxidantes.

Com o calor dos últimos dias fiquei inspirada para testar receitas de sorvete. Colhi então as que estavam mais maduras fiz um suco bem espesso.

Preparei uma calda com 225g de açucar e 250 ml de água. Mexi até dissolver o açucar e levei ao fogo baixo por cerca de 10’ Ponto de calda fina e deixei esfriar. Coloquei 500 ml do suco de acerola, misturei bem e levei para gelar por 2 horas. Depois coloquei na sorveteira e bati da maneira usual.Enfeitei com raspinhas de limão. Ficou bem leve e refrescante.

Ficou ótimo, mas como tinha preparado 1 litro de polpa, resolvi fazer outro teste.

Preparei da mesma maneira mas acrescentei na hora de bater 200 ml decreme de leite fresco, pode ser de caixinha também, e 2 colheres de vodka. Ficou cremoso e macio.

A cor do primeiro é mais viva, chama mais a atenção, o outro ficou mais rosado e dissolve mais faclmente na boca, deixando uma sensação aveludada.

quinta-feira, 15 de março de 2012

B.O.M. Sue vai à praia

 

Mais uma sunbonnet, a quarta, e como o projeto é formado por oito quadros, estamos exatamente chegando à metade. Já dá para ter uma boa impressão de como vai ficar o trabalho.

O resultado final depende também da harmonia na escolha dos tecidos para as aplicações, para as molduras internas e externas e barras. Por isso é necessário que antes de começar o projeto já se escolha, ou pelo menos se tenha em mente  quais os tecidos que serão utilizados.  Como tenho certa dificuldade em gravar somente na cabeça, inventei uma maneira de escolher. Coloco os tecidos lado a lado e fotografo, mudo as posições ou mesmo os tecidos e torno a fotografar e assim faço com todas as opções que tenho em mente. Depois passo para o pc e escolhoa opção que mais me agrada. Sunbonnet0002

Faço o mesmo em relação às molduras e barras.

É bom lembrar que todos os tecidos que adquirimos devem ser imediatamente colocados de molho, dobrados como vieram da loja, de preferência em vasilha branca (aquelas de sorvete são ótimas), para que se possa testar a firmeza das cores. Geralmente deixo de um dia para o outro. Não torcer, tirar da água e estender à sombra. Procedendo assim, todos os retalhos que sobrarem podem ser guardados e utilizados para futuras aplicações, sem correr o risco de estragar um trabalho depois de pronto.

Qualquer tecido que solte tinta deve ser descartado, mesmo que seja lindo ou tenha custado caro. Não deixe para depois para não correr o risco de esquecer.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Rainha-da-noite, uma flor exótica e bela

 

Tem muita gente que apesar de gostar de plantas, não as cultiva porque acham que é difícil. E têm toda razão, uma planta, qualquer seja ela, é um ser vivo e como tal precisa de atenção, carinho, cuidados e principalmente de amor,  para que se desenvolva.

Costumo dizer que meus gatos são extremamente humanizados e é a pura verdade. Um não gosta que me demore ao telefone e começa a reclamar miando bem alto para que a pessoa do outro lado ouça, outra me segue pelo quintal e jardim quando vou fazer a ronda diária e reclama quando dou mais atenção a alguma planta que a ela. Ultimamente tenho notado, porém, que parece que minhas plantas também estão se humanizando.

Tenho o hábito de conversar com elas enquanto vou tirando as folhas seca, provando os frutos e dando meu parecer sobre o sabor. Cheirando as flores e elogiando a beleza das rosas, explicando que podar é como cortar o cabelo, vai ficar sempre mais bonito. Vai se formando um vínculo de amizade que retribuem com frutos e flores que a cada vez mais me surpreendem .

Como não consigo esconder meu amor pelas plantas, estou sempre sendo presenteada com lindos exemplares. Fico comovida quando alguém chega e me diz vi essa muda e me lembrei de você.

Foi o que aconteceu há alguns anos atrás, para falar a verdade uns 6 ou 7 anos, não me lembro bem. Havia pouco tempo que havia me mudado e uma vizinha me levou um broto com 2 folhas que me afirmou ser uma samambaia diferente que tinha visto na casa de uma amiga, e se lembrara de mim.  Claro que fiquei muito agradecida e logo plantei em um xaxim, já que era uma samambaia. Os anos se passaram e por mais cuidado que tivesse nunca passava de 2 folhas, quando uma nova saía, uma das outras caía. Mudei o local várias vezes, mudei de casa, coloquei debaixo da mangueira, reguei com mais frequência, nada. flor exótica 006 

Cheguei então à conclusão que não era da vontade dela morar em minha casa, deixando-a à vontade para partir quando quisesse. No mesmo xaxim nasceu então uma avenca que cresceu  e o encobriu totalmente. No final do ano resolvi colocar o suporte com as avencas na varanda  e a tal samambaia de nome desconhecido veio junto. E, milagrosamente, começou a se desenvolver, saíndo várias folhas ao mesmo tempo. Um belo dia começou a nascer o que pensei fosse um caroço espinhento, seguido de um pendão.  Perguntei a várias pessoas conhecedoras de plantas e ninguém soube me dizer o que era aquela mutação. Passados alguns dias notei que a ponta do pendão estava crescendo em uma espécie de pétalas estreitas.  E foi aí que quase perdi o espetáculo. Tinha saído à noite e cheguei por volta de 23hs, quando ollhei e vi aquela flor enorme e maravilhosa, além de exalar perfume suave e agradável. Pensei, amanhã com a luz do dia vou tirar fotos. Mas como minha não começou a coçar resolvi tirar alguma de noite e outras pela manhã. A flor era tão linda e tão diferente !!. No dia seguinte quando acordei e fui ver, decepção, ela já havia se fechado. Só durara uma noite.

Não podia mesmo ser uma samambaia, fui pesquisar na web e descobri aqui que  se tratava de um cacto de nome  epiphyllum oxypetalum, conhecido por várias denominações como nigth-queen, novia-de-la-noche, fleu-de-lune, entre outras.

flor exótica 030

Se soubesse disso antes teria caprichado mais nas fotos. As pétalas claras refletem a luz da lua e atraem os polinizadores num belo espetáculo de sedução. Ainda não descobri se é por isso que ela se abre justamente em noite de lua cheia, pode ser que sim.Seja como for não posso guardar esse espetáculo só para mim, tenho que dividí-lo com todos , amantes ou não de plantas e flores.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Terceiro ato ou a vida daqui prá frente

 

Dentre as inúmeras manifestações que recebi pela passagem do Dia Internacional da Mulher, a palestra  Terceiro ato, proferida pela atriz e ativista Jane Fonda, muito me impressionou. Não só por ter sido enviada por várias pessoas, tanto homens como mulheres, por estar “bombando” na mídia, circulando na redes sociais, mas pela sabedoria, coragem e principalmente inteligência e dedicação de uma mulher notável, que ao fazer grandes descobertas sobre esse maravilhoso bônus que estamos recebendo da vida ,não as guardou somente para si, dividiu-as com o mundo.004

Admiro muito pessoas que se doam, que não têm medo de mostrar a cara e abrir caminhos .Essa nova maneira de encarar o que até pouco tempo se chamava de velhice e época de recolhimento,como uma conquista , é de um brilhantismo sem par. De que adiantam as conquistas da ciência em busca de prolongamento da idade cronológica, se esta não for acompanhada de uma radical mudança na forma de encarar a si próprio e aos outros nesse período da vida? 

É bem verdade que algumas pessoas já conseguiram enxergar a luz desse farol, mas ainda existem muitas que, ou estão esperando  o ” Fim”, cônscios que não merecem mais benesses nessa vida, ou procuram em pessoas que ilusoriamente lhes dão a impressão de estar mais jovens. Parece que muitos ainda não descobriram que o segredo da busca é uma viagem em busca de seu verdadeiro Eu, que ao longo dos anos foi sendo moldado, manipulado, escorraçado, minimizado, na ânsia de sobreviver , em um período em que se tem de prover ao sustento, lutar por uma carreira, educar filhos e esquecer de nós mesmos.

Chegou a hora de encarar uma mudança de atitude, de quebrar paradigmas, se quisermos continuar a ser aquela geração que revolucionou o mundo.

Não transcrevo a palestra porque creio quase todos já têm dela conhecimento, ao que ainda não viram deixo o link http://www.ted.com/talks/lang/pt-br/jane_fonda_life_s_third_act.html

Achei a foto da lua, na madrugada do dia 08?03/2012,  vista da minha janela ,apropriada para ilustrar este post, pela beleza, serenidade e ao mesmo tempo atividade constante, como entendo deve ser nossa vida.

domingo, 11 de março de 2012

Mulheres da minha vida - parte 2

 

Quando escrevi o post  ..às mulheres de minha vida, não imaginei que seria tão cobrada. Uma parte dessas mulheres caiu sobre mim como mosca no mel.Por um momento pensei que havia conseguido a proeza de desagradar a todos sem exceção. Falam todas ao mesmo tempo, ninguém cede a vez, uma teve o desplante de dizer que nem olhou a foto. Acalmados os ânimos comecei a entender. É que uma achou que apareceu pouco, a outra não estva bem na foto, outra não tinha passado perfume e por aí afora. Mas a reclamação principal é que a foto era de quase 2 anos atrás.

É que eu queria uma foto em que minha mãe também estivesse presente e aquela foi a última foto que ela tirou.Não poderia , ainda,  em um único post citar o nome de todas as mulheres que foram são e ainda serão importantes em minha vida, então quando disse tias, sobrinhas, primas, amigas etc, quis englobar todas que em algum momento me amaram, me apoiaram, me  deram colo, ombro, abraço. Quem embora estando longe vive em meu coração e por aí afora. Sintam-se todas amadas e  abraçadas, meu coração é muito grande e cabe todas e muito mais ainda, pois sei que muitas virão ainda.

Tentando me redimir, mandei as mais choronas se sentarem e fiz uma foto atual.

Espero assim ter me livrado das ameaças de chantagem, boicote etc de que fui alvo.

Aí estão as filhas, sobrinha e a neta mais velha, todas mulheres indispensáveis em minha vida.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Às mulheres da minha vida



Nesse dia em que perpetuamos a memória daquelas corajosas tecelãs, que na Nova York de 1857, pereceram queimadas  apenas por defenderem o direito à igualdade, algo que imaginamos tão inerente ao ser humano, filhos todos de um mesmo Pai, envio meu abraço a todas as mulheres . Às mães,  às filhas, às avós, às netas, às tias, às sobrinhas, às solitárias, às sempre lembradas, às esquecidas em asilos, às que já cumpriram sua missão e se foram e também às que ainda não chegaram.
Venho de uma família de muitas mulheres. Um matriarcado como costumava dizer quando minha mãe ainda estava entre nós. Antes de fazer qualquer coisa a consultava e era dela a última palavra. Ela soube nos manter unidos, sempre ao seu redor, nas festas da família, nos aniversários que nunca deixaram de ser comemorados e principalmente nos almoços de domingos e feriados. Com muita, muita comida, a maneira mais simples que as mães tem de  revelar o amor aos filhos, alimentando-os  e mantendo-os protegidos sob suas asas.
E como não poderia deixar de ser, são todas mulheres corajosas, guerreiras, que não temem a luta, que conduzem suas famílias, que riem , choram, amam, rezam e comemoram juntas.
Todo meu amor a elas que dão à minha vida um significado todo especial.
E também às minhas queridas amigas, as que vejo sempre, as que quase não vejo, mas que nem por isso deixam de estar presentes em minhas preces. As que conheço de longo tempo, as que ainda não conheço, mas com certeza conhecerei um dia.
Amo muito todas vocês e não se esqueçam somos uma fraternidade.

                    




São para vocês as rosas do meu jardim.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Bolinho de maçã para mulheres lindas e maravilhosas…

 

Para arrematar o lanchinho sugeri um bolinho de maçã, que pode ser acompanhado de uma  bola de sorvete de creme, para aliviar o calor que aportou por estas plagas.

Sempre que faço, esse bolinho é muito bem recebido e rapidamente devorado. Pode ser congelado, assado em forma de buraco no meio ou tabuleiro, enfim é versátil.

Ingredientes

3 maçãs grandes

2 xícaras de açucar mascavo orgânico

3 ovos

1 xícara de óleo de milho

100 ml de iogurte natural

250 g de farinha de trigo

40 g de aveia em flocos

40 g de farinha de trigo integral

1 xícara de ameixas secas  picadas

1 xícara de passas escuras

50 g de nozes picadas

1 colher de fermento químico em pó

1 colher, das de chá, de canela em pó

1 collher de linhaça.

Descascar as maçãs, picar e colocar em uma vasilha com água e limão.

Bater no liquidificador as cascas das maçãs, os ovos, o iogurte, a linhaça, a canela e o óleo. Acrescentar o açucar e bater até dissolver bem. Despejar em uma vasilha e acrescentar os outros ingredientes , mexendo delicadamente, apenas para incorporar. Forno preaquecido a 180°. Quando tirar do forno  polvilhar canela em pó, que combina muito bem com a maçã. Um aroma delicioso vai se espalhar em sua cozinha.

Se possível, não sirva com refrigerantes e sim com um suco natural. Servi com suco de acerola , mas poderia ser também uma limonada.

Lanche saudável e gostoso para mulheres lindas e maravilhosas…

Um leitor me solicitou um cardápio de lanche que além de saboroso e saudável, contivesse também ingredientes indicados para mulheres na menopausa. Liguei logo o Tico e Teco e, como de costume, fervilharam idéias, mas tinha que ser algo simples  e que também não consumisse muito tempo para fazer. Optei então, por uma entrada de canapés  feitos com pães variados, integral, de milho, de centeio, à gosto e que seja mais fácil de obter.lanche  saudável 018 Fiz 2 patés à base de ricota  peneirada e iogurte natural.  O iogurte deve ter consistência firme para proporcionar melhor textura. Depois da base pronta é só acrescentar os ingredientes que vão dar o sabor principal e depois retificar o sal . Se a opção for por ervas, a salsa e o manjericão vão muito bem e pode-se acrescentar um fio de azeite e algumas castanhas bem picadinhas. Se optar por algo mais colorido, acrescente à base algumas colheres de maionese , beterraba ralada bem fininho e azeitonas picadinhas.Peito de frango picadinho,  azeitonas e alcaparras. Vai depender além do gosto de cada um, a disponibilidade dos ingredientes.

Preparei então uma tortinha de cenoura, incluindo na receita ingredientes como linhaça, azeite extra virgem , ervilhas e atum.

Ingredientes

300 g de cenoura ralada

4 ovos

400 ml de leite integral

150 ml de azeite de oliva

100 g de queijo ralado (usei parmesão, mas quem não gosta pode usar o Minas curado)

240 g de farinha de trigo

50 g de aveia em flocos

50 g de farinha de trigo integral

2 colheres de linhaça

Sal e pimenta à gosto

1 colher de fermento químico em pó

Bater no liquidificador a cenoura, os ovos, o leite , o azeite e a linhaça. Despejar em uma tigela e acrescentar os outros ingredientes. Em forma untada e enfarinhada, colocar metade da massa , o recheio e cobrir com o restante da massa.Polvilhar queijo ralado e farinha de rosca em partes iguais. Forno preaquecido a 200°.

Recheio

1 lata de atum em molho de tomate picante

1 cebola bem picadinha.

2 colheres de azeite de oliva

100 g de ervilhas (usei congeladas)

Azeitonas pretas picadas

2 tomates sem pele e sementes picadinhos

Salsa, cebolinha, coentro, sálvia ou as ervas que preferir, frescas ou desidratadas.

Sal e pimenta à gosto.

Aquecer o azeite, refogar a cebola , as ervilhas e o tomate. Tirar do fogo e acrescentar os outros ingredientes. Utilizar depois de frio.

domingo, 4 de março de 2012

É tempo de reflexão e também organização

 

Como autêntica ariana que sou (meu ascendente também é áries), não consigo me livrar da mania de estar sempre começando algo, melhorando o que já está pronto ou simplesmente inventar moda, tentando transformar o que já é bom em excelente.  

Se há uma coisa que um ariano não suporta é ficar entediado, por isso estão sempre fervilhando de idéias, o difícil mesmo é colocar ordem nelas e escolher quais colocar em prática. Depois de anos sofrendo dessa síndrome, aprendi a fazer listas, tem gente que pensa que é prá não me esquecer das coisas, não, é para estabelecer prioridades. Quando coloco no papel imediatamente minha mente se aclara e posso enumerar todas as idéias para então transformá-las em projetos.

Depois de passar tantos dias com chuva, encolhida de frio, assistindo às estréias das novas temporadas de minhas séries favoritas, só pensava em fazer algo que me deixasse com a maravilhosa  sensação do sangue  a correr nas veias. O escolhdo para o ataque inicial foi meu ateliê. Tirei tudo de dentro das caixas, gavetas, esfreguei o chão com água e sabão, lavei retalhos, coloquei tecidos ao sol, selecionei aviamentos, descartei o que julguei não precisar mais.

Fiz novas etiquetas para as caixas, troquei as que já estavam muito desgastadas, reclassifiquei retalhos, organizei as gavetas. Sempre mudando alguma coisa de lugar, porque detesto coisas estáticas, que ficam ali paradas. Até as árvores se esticam e mudam de rumo, porque deixar as coisas que podem ser  movidas obstruindo a energia? E depois que mudo tudo de lugar fico com a sensação de alívio, afinal é como se estivesse dando o primeiro passo novamente, inundada de esperança.

Não foram horas, foram dias , lavando, passando, dobrando, colocando num lugar, mudando porque não tinha gostado, até chegar no que considero, salvo melhor juízo, o ideal para o momento. O local é muito pequeno, mas é onde só eu reino e só entra quem convido, a não ser a Mel, que nunca é convidada e está sempre lá dentro.

Como todo quilter que se preza tem um gato como mascote, eu a deixo pensar que é ela que  manda no pedaço.

Nunca faço as coisa simplesmente por fazer, porque sei que por trás de cada atitude está sempre a razão maior que nos levou até ali.

O período da Quaresma é considerado pela Igreja uma época de reflexão, interiorização, sacrifícios, penitências e principalmente é um preparo para receber a renovação na forma da Ressurreição de Cristo . Talvez nem todos entendam, mas para mim é muito simbólico e procuro sempre mudar minhas penitências de ano a ano, para  não cair na mesmice . Nem em questão de penitência o ariano suporta rotina. Quem sabe no ano que vem eu resolva fazer esse sacrifício? Por este estou feliz , sinto que estou pronta para receber as bênçãos que com certeza chegarão.

quinta-feira, 1 de março de 2012

BOM - Sunbonnet volta às aulas

 

Como prometi, a cada 15 dias uma Sunbonnet, dessa vez a  Sue volta às aulas. Faz lembrar a época em que as crianças levavam maçãs para as professoras. Que eram chamadas de professoras mesmo e não  “Tia”, eram respeitadas e até mesmo adoradas. Sei porque também já fui professora no Jardim da Infância e a maior satisfação era receber as crianças com aqueles olhinhos brilhantes, pensando certamente que eu era uma espécie de fada madrinha que ensinava a ler com um toque de mágica. E como gostavam de dividir o lanche comigo, ficavam ofendidos se não aceitasse. Agora a relação aluno-professora-pais, tornou-se algo mais profissional e menos afetiva e simples. Mas a escola continua sendo a extensão do lar e elas ingressam cada vez mais cedo e muitas das vezes em período integral.

Minha homenagem então às crianças e suas professoras, que com  abnegação se dedicam a uma profissão tão importante, mas ao mesmo tempo tão desprovida de glórias.

Sunbonnet0006

Não esquecer ao copiar na entretela dupla face que o risco é sempre espelhado, como no exemplo acima, se quiser que fique virada para o outro lado é só inverter.

Depois de casear a aplicação, gosto de acrescentar retalhinhos de renda, sianinhas ou outros enfeites para acrescentar mais charme ao trabalho. É também uma oportunidade de utilizar as sobrinhas de aviamentos.

Patchwork da Mommy



...um lugar para se falar de patchwork, quilt, receitas culinárias,gatos, plantas e o que mais vier...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...