segunda-feira, 30 de julho de 2012

Minha Flor de Maio virou Flor de Julho

 

  Não sei se por minha culpa, se por capricho da Mãe Natureza, este ano minha Flor de Maio não floresceu na época certa e quando pensei que não fosse mais florir, ela se encheu de botões.  Ontem abriu o primeiro, passando então a ser Flor de Julho, os demais serão Flor de Agosto. Certamente essa teimosia é para mostrar que ninguém tem poder de determinar seja lá o que for e que os desígnios de Deus são impenetráveis. Espera-se muito e nada acontece, de repente, do nada surge bela e exuberante flor como que dizendo agora é a hora certa, cheguei.

Com a gente também é assim, esperamos ansiosamente que algum desejo se realize e nada, passamos por todas aquelas fases, tão normais , de negação, chantagem com

casa Conceição 006

Deus, fazemos orações, penitências, promessas vãs e nada acontece. Pensamos então, não era para ser… E eis que quando menos esperamos, acontece. O tempo de Deus não é o nosso tempo. Só ELE sabe o que precisamos e quando o  merecemos, não adianta desespero, na hora certa virá.

Acho que depende também um pouco da Fé , pelo menos comigo sempre acontece assim. Costumo até dizer que céus e terra se movem para realizar nossos sonhos quando somos dignos de merecê-los, é lógico. Basta ter paciência e calma, muita calma.

Como minha flor, talvez não venha em maio, mas todo dia é tempo de bênçãos e  recebê-las é o que mais importa.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Alguém aí já ouviu falar de ciúmes?…

 

545494_344141325667674_750652493_n

                                                  Júlia

Ontem enquanto escrevia sobre minha paixão pelos netos, matutava sobre uma maneira de homenageá-los sem melindrá-los. A melhor opção que encontrei foi colocar a foto da

530094_342469039164271_860855851_n

mais velha com o caçulinha no colo.  Imaginei que todos concordariam que era apenas uma forma de representar, na verdade amo muito a todos, o espaço é que às vezes não comporta tanta foto.

Aguém concordou com isso? E como sabem se defender… Logo eu vó, que fui a primeira a ligar para cumprimentar .. e por aí vai…

Como é que se explica que o coração da vovó não é um condomínio fechado? Que sempre há espaço para mais um?  Com criança não se pode perder em explicações que parecem incompreensíveis, já que cada um defende sua parte, muitos netos e uma só avó. O melhor é publicar logo fotos de todos , assim ninguém se sente preterido.

0;;

            Ana Helena

Felizmente todos tem dotes culinários, o Henrique já se arrisca a fazer preparos para ocasiões festivas, como o Natal, dia das Mães, batizado do Gabriel.

                        Henrique

natal 2011 041

             Amanda

A Amanda, além de neta é minha afilhada de batismo e como tal se acha no direito de exigir mais atenção.Sempre me lembra que além de avó, sou madrinha.

Mas a realidade é uma só, eu amo a todos vocês, cada um a seu modo porque as pessoas não são iguais e

essa é a maior beleza da vida.

Deus abençoe vocês meus netos, vocês são uma parcela muito importante de minha vida!

quinta-feira, 26 de julho de 2012

A delícia de ser avó

 

Mariana e Gabriel

Netos são a coisa mais fantástica do mundo. Sempre tive comigo que a natureza é extremamente sábia, nos dá filhos quando somos jovens e temos força para educá-los e guiá-los.  Quando eles crescem, porém, o amor imenso que temos não acabou e é aí que vem o melhor, os netos.  Aquela fase mais difícil , quando estamos lutando para vencer na vida, sem termos experiência e nem paciência , já passou.  Amadurecemos, trilhar a estrada do destino nos calejou e ensinou que não é preciso pressa para viver. E chegam os netos…Às vezes pouco a pouco, como no meu caso, sete anos com uma única neta, a mais linda, mais inteligente, mais bem vestida, mais paparicada, mais cute cute. De repente em um só ano chegam 3. Pronto, acabou o sossego e começou o ciúme. Concursos para saber quem é o preferido, quem ganha mais presentes, quem é mais lembrado etc.1342681839457_scrapeenet

Não é nada disso, a cada um que chega o amor é renovado e não há limites para o amor de avós. Os netos precisam dos avós, mas os avós necessitam ainda mais dos netos. Eles são a extensão da vida, da esperança, da felicidade, daquela gostosa sensação de que se é útil, quase imprescindível.

Os netos prolongam a vida dos avós, não apenas cronologicamente, mas principalmente a vida emocional. Dão-lhe  razão para continuar lutando se por algum motivo  estiverem desesperançados. Ou para ficarem cada vez mais modernos e cheios de energia, se já estão aposentados e sobra tempo para inventar novidades.Avós  são para lazer, para doces momentos, então como não amar os avós?

E netos… netos são para quando a gente está descansado, precisando gastar toda a vitalidade armazenada e fazem a gente se sentir renovados . Não há como não amar os netos!

Nessa estória de avós uma única coisa me incomoda, por que sempre representam os avós com figuras de pessoas bem idosas? Por acaso as pessoas mais jovens não transmitem com sua imagem o amor de avós. Os bem idosos são tataravós e devem também ocupar seu espaço, mas o mundo se modernizou e como disse minha neta Mariana, sou uma avó modernaça.

Representando todos os netos, Mariana, a mais velha e Gabriel, o caçula. O João Victor está aí de intrometido, como todo ruivo sardento.

Beijos a todos os avós e netos. Aproveitem essa fase maravilhosa da vida.

Sou uma avó duplamente abençoada já que fui batizada com o nome da padroeira das avós, ANA, a  avó de Jesus.

domingo, 22 de julho de 2012

Pães, não consigo parar de fazê-los…

 

pão integral 001

 

Reconheço, ninguém gosta tanto de pão como eu. Imaginar os ingredientes, sovar a massa , exercitar a paciência ao esperar que a levedura faça a sua parte e então modelar e ver sair de suas mãos a forma que desejar naquele instante. Fazer pães já se tornou para mim um vício, sinto enorme prazer em realizar cada uma das etapas e quase sempre me surpreendo quando alguém me diz que fazer pão é trabalhoso e é melhor ir à padaria comprar. Jamais conseguiria explicar, então me calo e crio outra receita.

E gosto de pães que levam mais de um tipo de farinha e nem sempre escrevo a fórmula antes de começar, muitas das vezes coloca a balança de um lado e lápis e papel de outro e vou testanto até encontrar uma textura que penso vai dar certo. Hoje foi assim, pesei a farinha para pães, acrescentei 20% de farinha integral e exagerei no iogurte e na manteiga.  Como ficou uma massa mais pesada demorou para levedar , bom se não desse certo sempre poderia ser transformada em torradas ou farinha de pão.pão integral 004

De repente cresceu e fez bolhas, pulverizei água , levei ao forno e fui aproveitar o tempo conversando com a Júlia pelo facebook, já que a mãe dela não quer que telefone para não gastar créditos com deslocamento. De repente, começa a invadir a casa um delicioso aroma da manteiga. Já tinha esquecido o pão no forno, mas aquele cheirinho de manteiga despertou meus sentidos imediatamente.  Manteiga me lembra infância, quando duas vezes por semana minha mãe se sentava com a tigela de louça no colo e batia a manteiga que usaríamos o resto da semana.

Não era minha intenção fotografar o pão de hoje, mas o aroma estava tão intenso que não resisti e aí está, casca crocante, miolo macio, exatamente como gosto.

Ciclos da vida

 

Semana passada encontrei vários ninhos caídos pelo quintal, sinal que os bebês já tinham nascido, crescido e aprendido a voar. Imaginei que tinham se mudado para um local mais aprazível . Até algum tempo atrás não conseguia entender os ciclos da vida e me corroía ao pensar que os pequenos seres da natureza poderiam estar desprotegidos  e à mercê dos predadores. A vida porém, tem me ensinado que não é bem assim, eles,  como nós possuem em si a fagulha divina e sempre encontram forças para lutar e cumprir seu destino. Como a mangueira é muito alta não consigo ver o que se passa no alto, acho que é lá que eles se divertem. Parece que adivinham quando estou fazendo pão e começam a algazarra nos galhos da acerola que sombreia a janela da cozinha e nesses instantes dou graças por não ter cedido a todos que me aconselhavam a cortar as árvores para ganhar mais espaço no terreno. Quem é que precisa de espaço, precisamos é de natureza e não vazios.

Essa opçãoprimavera np meu quintal 002 por levar uma vida mais simples e natural tem-se revelado para mim cada vez mais acertada. Estando longe do burburinho pude me tornar mais introspectiva e assim analisar o que realmente há de valor na vida. E principalmente aprender sobre os ciclos. Os ciclos da natureza, da vida, da beleza, do amor, que tudo tem começo e fim.  E que nunca ficam vazios, sempre chega algo novo para nos impulsionar  e assim nunca nos acomodarmos.

E foi colhendo goiabas, ontem, que levantando o olhar percebi quantas mangas já estavam maduras e provadas e certamente aprovadas pelos pássaros. É vida que segue, mais um ciclo se fecha e outro se inicia, nascem pássaros, brotam flores, jabuticabas pipocam pelos galhose eu, eu sgo, espero que melhor,mais forte, mais sábia e mais amiga a cada dia. Fazendo o que gosto, escrevendo banalidades, sovando meu pão, recebendo inspiração para desenvolver meus trabalhos de arte e a eles me dedicando.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

O bolo de carne da Mommy

 

bananas, bolo de carne 008

Os muito vegetarianos que me perdoem, mas eu amo bolo de carne.  Considero uma grande invenção em todas as suas variantes e faz parte de minha lista de comfort food. Como sou muito inquieta, criei minha própria receita, pinçando idéias daqui e dali e acrescentando meus temperos favoritos. Uma coisa boa do bolo de carne é que a gente pode guardar o que sobrou na geladeira e no dia seguinte fazer um delicioso sanduiche. Minha receita é bem simples e cheguei a ela depois de várias experiências, algumas bem sucedidas outras nem tanto, com o bolo ficando meio seco.  Geralmente uso patinho ou coxão mole, que peço para limpar e moer na hora, nunca, jamais, em tempo algum, compro carne que já está moída. Não uso leite , miolo de pão , sopa de cebola ou outra qualquer. Prefiro  farinha de rosca , cebola bem picadinha levemente refogada em azeite, juntamente com alho e pimenta vermelha. No recheio utilizo tomates secos bem picados , cogumelos, queijo , azeitonas pretas e algumas ervas. Comprei tomates desidratados naturalmente e depois de picados coloquei em uma tigela com azeite extra virgem  com orégano, alecrim e mangerona, para que ficassem macios e absorvessem os sabores das ervas que em contato com o azeite se intensificam.bananas, bolo de carne 005

Misturei a carne com a farinha de rosca, 1 ovo e  acrescentei a cebola refogada com o alho e já esfriada, sal , pimenta do reino,cebolinha, salsa e coentro. É importante que todos os temperos fiquem bem agregados.

Utilizo para assar um refratário tipo forma de bolo inglês, acho melhor do que as de alumínio porque assa mais lentamente e não deixa a carne perder umidade.  Forma untada, espalho metade da carne e por cima  os tomates secos, azeitonas (usei pretas, mas podem ser verdes), cogumelos fatiados  e fatias de queijo mussarela, pode ser prato que também é macio e não esfarela.  Após coloco o restante da carne com cuidado para não remover o recheio do lugar.  Agora é hora de cobrir a parte superior do bolo com fatias de bacon, não só para enfeitar, mas para conservar a maciez  e a umidade do bolo. E também para proporcionar o delicioso aroma que atrai toda a vizinhança, avisando que é dia de bolo de carne.Depois de montado o bolo, cubra a forma com filme plástico e leve à geladeira para descansar por cerca de 1 hora.  Forno a 250° por 15’, depois a 180° por cerca de 1 hora.  Tirar do forno e deixar descansar por 15’  . Antes de servir, decore à gosto

Ingredientes

700 g de patinho moído

1 xícara de farinha de rosca

1 ovo

1 cebola grande bem picada

2 dentes de alho picados

Cebolinha, salsa , coentro, orégano e  manjerona à gosto

1/2 colher de alecrim picado

1/2 xícara de tomate seco picados

100g de cogumelos fatiados.

100g de quejo mussarela em fatias

Azeitonas em fatias à gosto

100g de bacon em fatias para a cobertura.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Palhaços do Gabriel

 

Os preparativos para o aniversário de Gabriel me absorveram tanto tempo que embora quisesse postar pelo menos algumas de minhas idéias, não consegui.  Como faço tudo sozinha, tive que me desdobrar e aí no fim do dia estava tão cansada que só queria  dormir.

As idéias iam surgindo ao mesmo tempo na minha cabeça e na da mãe dele, discutíamos até chegar a uma conclusão. O nome da festa era  “O circo do Gabriel”, então imaginei que palhaços seriam uma boa pedida. Logo acharam que era muito trabalhoso, mas bati o pé e não arredei do lugar, queria fazer palhaços e ia fazer. Fui fazendo modelos até chegar a um que me agradasse e imaginei também encantasse as crianças. Além de bonito, tinha que ser leve e  macio ao toque, aquele brinquedo que dá vontade de agarrar e faz os adultos ficarem com pena de haverem crescido.

Como sou irredutível em relação a detalhes, detive-me na análise de cada um, como botões, design da roupa etc. Até acertar cortei e costurei vários macacões que iam sendo descartados ou modificados. Fiz camisas, tirei porque ficou muita informação, brigando com a gravata e o suspensório.

Depois foi a vez do cabelo e do chapéu, esse o item mais difícil, porque qu havia encasquetado de fazer uma cartola, o que além de trabalhoso, afinal não ficou tão bonito como imaginara. Só percebi depois de fazer 20 abas, todas com ponto caseado à mão. Não tive pena, joguei para o alto , cortei outro modelo e aí fiquei satisfeita.

Conheço várias pessoas que não gostam de palhaços, entre elas uma filha. Talvez seja a lembrança do susto ao ver aquela criatura caricaturada, exageradamente pntada como costumam se caracterizar  os palhaços.

Tive cuidado então de pintar a carinha como a de um boneco comum, apenas mais alegre e peralta. Saiu então o Gabrielito, que gosta de pirulito, parecido com uma criança normal.

Pelos comentários que tenho recebido, parece que agradou, espero mesmo que sim.

 

Depois de devidamente embalados ficaram com pose de gente importante. À princípio eles seriam parte do arranjo das mesas dos convidados, ainda bem que mudamos de idéia e eles foram distribuídos ao final da festa e na mão de cada criança. Vi adulto dando birra!

Ficou mesmo muito fofucho!

Patchwork da Mommy



...um lugar para se falar de patchwork, quilt, receitas culinárias,gatos, plantas e o que mais vier...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...