sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Torta de carne

 

Há ocasiões em que ao final de uma refeição notamos que, ou os convidados comeram pouco, ou erramos na quantidade e aí o que fazer com as sobras? Todo mundo sabe que sou radicalmente contra desperdícios, assim estou sempre inventando alguma receita para utlizar o que foi feito em excesso. Um truque excelente e que utilizo muito, é congelar o que sobrou, bem acondicionado para utilizar alguns dias depois. Ninguém jamais saberá que o que está saboreando, um dia já foi sobra de outra refeição.

Há uns dez dias fiz um assado de contra-filé para o jantar e como vieram menos pessoastorta carne 002 que o esperado, acabou sobrando. Tirei a carne so molho, fatiei, acondicionei em um refratário e cobri com o molho. Vale lembrar que  não faço molho engrossado com amido, prefiro reduzir em fogo baixo, o que me permite congelar sem problemas. Ontem finalmente tirei a carne do freezer e a transformei em recheio de torta. Primeiro desfiei grosseiramente, não gosto de recheios que a gente não sabe bem o que está comendo. Temos dentes para mastigar, deixo então meus recheios com pedaços e não uma pasta. Refoguei uma cebola picada em 2 colheres de azeite, acrescentei a carne já desfiada, champignons fatiados, ervilhas congeladas que também já tinha, salsa, cebolinha, o molho, provei o tempero, vi que não precisava acrescentar mais nada, tirei do fogo, acrescentei azeitonas pretas, que poderiam ser verdes, mas eu só tinha pretas. Sempre acho que em matéria de azeitonas é uma questão de gosto. O recheio deve estar bem frio para ser utlizado. Preparei a massa.

Ingredientes

300 g de farinha de trigo

200g de manteiga sem sal

1 ovo inteiro (sem casca, claro)

1 colher, das de café, de fermento químico

2 colheres de água.

As chamadas massas ricas, que levam muita manteiga, devem ser manuseadas o mínimo possível. Apenas o suficiente para agregar os ingredientes. Pessoalmente prefro usar o processador na função pulsar.  Envolver a massa em um plástico e levar à geladeira por cerca de 1 h para ficar firme.

Dividir a massa em 3 partes, com a primeira forre o fundo da forma, com a segunda as laterais. Fure bem com um garfo, pincele com uma clara e leve à geladeira por alguns instantes, isso vai impermeabilizar a massa impedindo que ela absorva o molho do recheio, ficando assim mais crocante.

Colocar o recheio, uma leve camada de queijo ralado, utilizei parmesão, mas o Minas curado também fica bom e cobrir com o restante da massa. Fica mais fácil abrir a massa entre 2 plásticos, evita que grude na bancada ou no rolo. Para pincelar utilize o restante da clara e 1 gema com algumas gotas de azeite.

Esse tipo de torta pede forno bem quente e preaquecido. No meu forno, que é elétrico, uso 250°. Quando estiver bem dourada e com um aroma alucinante, tire do forno e deixe esfriar sobre uma grade por cerca de 15’ antes de desenformar. Se sua forma não for de fundo falso é melhor servir nela mesmo.

Ninguém, mas ninguém mesmo vai desconfiar que essa torta algum dia foi a sobra de um assado.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Chocolate, sempre ele…

 

O porquê do  fascínio que o chocolate exerce nas pessoas é algo misterioso e que não importa muito, pelo menos para mim. Gosto e pronto, gosto não, amo chocolate. Mas não qualquer chocolate, não sou daquelas que devora caixas de bombons, aliás não sou muito de bombons, com exceção do Sonho de Valsa e Cereja ao licor da Kopenhagen, que esses não posso mesmo dispensar. Nunca porém em grande quantidade, gosto de saborear devagarinho, sentir além do sabor, a textura macia, o licor se misturando ao chocolate e transformando nossa boca na ante-sala do céu.

Porém meu fraco mesmo é o chocolate em barra, amargo ou meio-amargo, com no mínimo 50% de cacau. Com as barras posso transformar minhas mirabolantes idéias em realidades maravilhosas. Sábado a noite  diz um fudge para a sobremesa de domingo, servi com uns morangos hiper doces. Delícia dos deuses, de comer de joelhos.

Ingredientes

400g de chocolate meio amargo raspado

1 lata de leite condensado “Moça”

1 colher de manteiga sem sal

200g de nozes grosseiramente quebradas (coloco num saco plástico e bato com um martelinho de cozinha)

Misturar o chocolate com o leite condendado e a manteiga. Levar ao fogo brando (brando mesmo para o chocolate não queimar), mexendo até ficar bem homogeneizado. Acrescentar as nozes, misturar bem, tirar do fogo e deixar esfriar um pouco. Despejar em um recipiente para tomar a forma. Eu coloco naquelas formas descartáveis para bolo inglês porque acho mais prático. Cobrir com filme plástico e levar à geladeira de um dia para o outro.  Desenformar e cortar da maneira que desejar, em linha reta ou na diagonal, acho que ficam bonitos desiguais, mostrando bem que são produtos artesanais.

Antes de cortar é bom verificar se já está bem sólido  caso contrário os pedaços se desmancharão. Se não gostar de nozes, pode-se usar outra castanha, também gosto de umas cerejas, mas a filhota pediu para não colocar.

domingo, 26 de agosto de 2012

A festa do brigadeiro



Dizem que por ser o brigadeiro um doce exclusivamente brasileiro, é amado por todos os nascidos nessa terra abençoada por Deus. Eu sou uma das que ama brigadeiro, mas não qualquer brigadeiro. Como sou chocólatra meu brigadeiro tem que ter sabor intenso de chocolate. Não gosto daquele chocolate granulado em que geralmente envolvem os brigadeiros. De chocolate não tem nada, só imitação, na verdade é gordura , açucar, corante etc. Prefiro envolver os meus em castanhas, nozes, amêndoas ou a minha primeira opção que é chocolate meio-amargo raspado.  A provadora ofical, Fernanda comeu muitos, então concluo que ficou bom, bom não, ótimo.
Sou muito exigente com ingredientes para doces, prefiro usar os de 1ª qualidade, embora sejam mais caros proporcionam um efeito que vale a pena
Ingredientes
1 lata de leite condensado Moça ( outro não serve, fica muito doce)
50 g de chocolate em pó Nestlé 50% cacau
15 g de cacau, usei o Callebaut, mas sei que é difícil de encontrar.
10 g de chocolate  em barra meio-amargo 70% cacau, raspado
40 g de manteiga sem sal (manteiga mesmo, não margarina)
Em uma panela de fundo grosso ( uso de inox), misture bem o leite condensado, chocolate em pó, cacau e a manteiga. Leve ao fogo baixo e mexa constantemente até o ponto de brigadeiro, que para quem não sabe é quando solta da panela. São mais ou menos 10’. O fogo deve ser sempre baixo. Quando der o ponto misture o chocolate em barra, mexa bem , despeje em prato untado com manteiga sem sal e espere esfriar bem para enrolar. É melhor de um dia para o outro.

Untar as mãos com manteiga para enrolar e envolver os brigadeiros na cobertura desejada, chocolate raspado, nozes picadas, avelãs moídas etc. Fica ao gosto de cada um.
Se quizer congelar, coloque em recipiente e tampe bem, levando ao freezer por até 3 meses.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

O meu tempo passa mais devagar…

 

Desde bem pequena me acostumei a encarar o tempo de acordo com as estações. Sempre havia alguém a dizer que no Brasil não temos estações definidas, apenas frio e calor, ultimamente mais calor do que frio. Teimosa eu dividia minhas estações pelas flores ou frutas da época. Então meu ano acabava com as últimas mangas e começava quando novas surgiam, o mesmo com as flores. Quando terminava uma florada sabia que um ciclo estava se encerrando.

Creio que hoje seria difícil adotar esse raciocínio porque há frutas e flores o ano todo. Não há mais tempo de manga, as gôndolas estão cheias de manga o ano inteiro. Só os produtos orgânicos seguem o calendário da natureza, considero-me abençoada quando olho meu quintal e tudo está como sempre, manga no tempo de manga.

Colhi hoje a primeira laranja do ano, linda, bem vermelha e extremamente doce. Época houve em que pensei nunca colheria uma fruta dela, tão maltratada foi por pedreiros, pintores e quetais que por aqui estiveram. Mas ela respondeu bem ao carinho a ela dispensado e deu me esse presente.

As primeiras mangas já vieram e se foram, bem poucas, só uma amostra do que virá ao final do ano. Os pássaros foram quem mais aproveitaram, conseguiam devorar metade de uma numa rapidez incrível. Talvez soubessem que eram poucas e logo acabariam.

Mas surpreendi-me hoje ao encontrar a mirra coberta de flores, perfumando o jardim. As flores miúdas, tão delicadas cobrindo os galhos que oscilavam sob o vento frio da manhã me fizeram vir lágrimas aos olhos. Mais um ano começava ali, isto é um ano da florada da mirra. Quando ela se for só daqui a um ano.

É essa minha lógica, as estações vêm e vão, trazendo consigo as flores e as frutas preferidas e as nem tanto. As pessoas também, na última florada da mirra chegava o Gabriel, que agora já tem um ano. Estou certa em contar o tempo pela natureza  e não pelo relógio.

O Gabriel certamente também pensa assim, ainda não foi contaminado pela síndrome de urgência que se alastra pelo mundo afora e não nos deixa observar as pequeninas coisas do dia a dia.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Vem mais Sunbonnet aí…

 

 

Projeto novo em andamento.   Já bordei tantas Sunbonnets que por vezes tenho a impressão que posso fazê-las de olhos fechados.  Apesar desse mês de agosto estar sendo muito cheio de compromissos e trabalhos, empreendi um novo projeto.

Será uma colcha de solteiro, mas quero colocar algumas cenas diferentes das que bordo habitualmente e talvez cores mais fortes. Tenho sentido cada vez mais necessidade de imprimir mais orignalidade aos meus trabalhos , porém não consigo deixar de lados as graciosas Sunbonnets. Qualquer quarto fica enriquecido e ganha aspecto diferenciado, ornado com uma colcha bordada com aquelas meigas garotinhas..

Substituí o tom clarinho que costumo usar como base dos blocos por um também neutro, mas em tonalidade mais forte. Já idealizei todo o trabalho , mas deixando em aberto possibilidades de mudanças tanto nas molduras como nas barras. À medida em que for bordando certamente idéias novas irão surgindo e quero estar aberta a todas elas.

Almoço simplesinho, mas delicioso

 

omelete 003

O post do sorvete de morango causou tanto furor, recebi tantas mensagens, me encontravam na rua e diziam isso foi maldade. Alguns com vontade de provar , outros porém achando que foi um chamamento à quebra de uma dieta etc.  Primeiro quero esclarecer que aquele meu sorvete não pesa nada na balança já que leva pouco açucar e os ingredientes são todos frescos.  Outra coisa é a temperança, tomar uma tacinha por vez, só para matar a vontade, afinal o mundo não vai acabar tão cedo. Temos tempo à beça para provar todas as delícias que quisermos se formos comedidos.

Mas, tentando me redimir, eis meu almoço simplesinho, omelete. Tudo bem fácil e aproveitando o que tem na geladeira. Usei 2 ovos, de tamanho médio já que minhas frangas estão na 1ª postura, bem fresquinhos, presunto , queijo , ervas, tomate seco e azeitonas.

Ingredientes

2 ovos orgânicos

2 fatias de queijo branco cortada em pedacinhos

1 fatia de presunto de peru em tirinhas

Pedacinhos de tomate desidratado , uso aqueles secos naturalmente sem adição de óleo

azeitonas pretas para decorar

Ervas frescas à vontade, usei manjerona, orégano, sálvia, manjericão, coentro, flor de cebolinha francesa e cebolinha, tudo colhido na hora.

1 colher , das de chá , de amido de milho

2 colheres de leite integral, 1 pitada de sal e outra de fermento químico em pó.

Cada um tem sua maneira de fazer omelete, faço da mesma maneira desde sempre.

Primeiro misturo as ervas picadas e reservo. Faço o mesmo com o queijo, o presunto e o tomate seco. Em uma tigelinha junto o leite,  o amido de milho, o sal e o fermento misturando até ficar homogêneo. Usando um pincel unto uma frigideira antiaderente com óleo.Essas são as preliminares.

Quebro então os ovos em um preto fundo, misturo ligeiramente com um garfo, acrescento a mistura de leite e agrego levemente. Despejo na frigideira aquecida e em fogo médio. Quando a parte do meio adquire uma textura cremosa coloco o recheio, polvilho com as ervas e depois é só enrolar da maneira usual. Observem como fica douradinha por fora e bem amarela por dentro, fiz um cortezinho na dobra para mostrar.

Guarneci com um pedaço  mandioca que estava dando sopa na geladeira. Como já estava pré cozida, cortei em tirinhas e levei ao forno só para criar uma casquinha e fingir que era frita. Engana mesmo,  pelo menos para mim que não sou muito fã de frituras.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

O valor do carinho

 

Há muitas maneiras de se expressar o carinho pelas pessoas que se ama. O mais fácil é com palavras e atos de atenção, mostrar à pessoa que ela ocupa um lugar de destaque em nossa vida.

A minha maneira de demonstrar amor é sempre presenteando com trabalhos meus. O pior é que nem sei se a pessoa que recebe o presente se sente tão feliz como eu. Apenas imagino que farei alguém feliz . Sempre  coloco toda a energia positiva que possuo e faço tudo com o maior prazer e alegria. E não faço algo aleatório, é tudo personalíssimo, desde o momento em que começo a projetar até finalizar.

Sei que é infinitamente mais prático ir até um shopping e entre as mais variadas  opções, escolher um presente. Eu porém acho impessoal demais, e não me importo absolutamente em ter trabalho . Costumo até dizer que não é trabalho, é prazer. Só não abro mão de uma coisa, a qualidade dos acessórios, principalmente as tiras bordadas e rendas a serem utilizadas.  Comprar um aviamento de 1ª qualidade não é um gasto, é um investimento . Penso que ninguém gosta de ver algo feito com trabalho e dedicação de repente manchar, desbotar ou ficar destorcido após a 1ª lavagem.

Também faz parte do carinho esse cuidado em escolher as peças e os tecidos a serem aplicados. É bom lembrar também que a embalagem vai arrematar e mostrar o bom gosto de quem presenteia.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Pavê super rápido de morangos

 

Enquanto houver morangos farei receitas com morangos. Além de ser apaixonada por eles estão lindos e muito doces.

O que fazer quando um genro liga e diz estou chegando para jantar? Vindo de São Paulo, não ali da esquina. Corro fazer uma sobremesa com os morangos que estão na geladeira. Precisava ser algo rápido porque ainda teria que preparar os pratos mais substanciosos, afinal ninguém vive só de sobremesas.

Para a base fiz um creme comum, com leite condensado, leite integral fervido com uma fava de baunilha, gemas e uma caixinha de creme de leite.  Por cima uma camada de biscoitos amanteigados de chocolate apenas quebrados grosseiramente. Enquanto gelava fiz mousse de morangos, sem gelatina. Apesar de gostar de gelatina nunca a acrescento às minhas mousses, acho que modfica a textura.

Bati 200 g de morangos picados com uma lata de leite condensado “Moça”, por favor,quando estava homogeneizado acrescentei sem bater 100g de morangos picados e misturei levemente. Utilizei 200g de creme de leite fresco e bem gelado e 2 colheres de açucar refinado para fazer um chantilly com o qual finalizei a mousse. Espalhei sobre o creme com bolachas e deixei na geladeira. Pouco antes de servir cobri com ganache feito com 250g de chocolate meio-amargo e 200g de creme de leite. Chocolate de verdade, não aqueles fracionados. Decorei com morangos fatiados e hortelã que proporciona um sabor refrescante e casa muito bem com o morango.

Parece que ficou bom, pelo menos não sobrou nada para o dia seguinte.

As fotos foram tiradas pelo genro.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Sorvete de morango de verdade

Adoro essa época de morangos, as gôndolas dos supermercados estão sempre repletas deles, a cada esquina escontramos vendedores oferecendo “morangos novos”, como se fruta tão frágil pudesse envelhecer. Gosto de morango com tudo, chocolate, leite, creme de leite, rúcula, alface, iogurte etc. Mas meus preferidos são aquelas tortinhas de massa brisée e sorvete . Sorvete caseiro, com morangos bem maduros e doces  Lembrei-me de uma receita vista no blog da Ana Elisa , La Cucinetta, O Sorvete de Morango Perfeito e Definitivo e não resisti, seria a sobremesa de domingo.

Além de super simples e sem nenhum ingrediente estranho e de nome complicado que geralmente constam das receitas de sorvete, como emulsificantes , saborizantes, edulcorantes e outros “antes”,  é muito rápido de fazer. O sabor e a textura são coisa de outro mundo.  Não é excessivamente frio, então desliza na língua com um toque aveludado e desperta todas as papilas gustativas. É melhor servir e guardar logo o resto no freezer para não sofrer a tentação de repetir.

Costumo acrescentar uma ou duas colheres de vodka quando vou processar sorvetes para ficar com textura mais macia, esse não precisou.

 Ingredientes

500g de morangos maduros

3/4 de xícara de açucar cristal orgânco

1 pitada de sal

3/4 colher, das de chá, de limão (gosto muito de limão, usei 1 1/2)

500ml de creme de leite fresco.

Cortar os morangos, misturar o açucar, o sal e o limão e deixar repousar  cerca de 10’.

Bater no liquidificador o creme de leite e metade dos morangos até homogeneizar, acrescentar o restante dos morangos misturando com uma colher. Eu bati todos os morangos porque não queria pedacinhos da fruta e sim todo cremoso.

Levar a gelar, deixei 2 horas no congelador da geladeira. Tirar e bater na sorveteira .

domingo, 12 de agosto de 2012

Dia dos pais

 

Nunca imaginei fosse tão difícil escrever um post no Dia dos Pais. Falar de um pai, no dia dos pais, não tendo mais um pai ao meu lado.  E meu pai foi a figura mais marcante em minha infância e juventude. Fui a filha muito amada de um pai também muito amado.  Filha de um homem culto, amoroso e gentil. Filha muito desejada e que só chegou em sua velhice. Tive a rara oportunidade de ser criada por um pai de tempo integral que me ensinou a ver o mundo sob vários prismas . A entender o que realmente vale a pena, a amar poesias, ser gentil com os animais e acreditar que as rosas eram cultivadas para tão somente enfeitar meu caminho.

Com ele aprendi que a leitura é a chave que abre a porta da magia do conhecimento, quando podemos desbravar o mundo sentados em uma poltrona. Ouvir suas estórias sobre a amazônia ainda intocada, no final do século XIX, onde os rios e as florestas eram únicas opções de sobrevivência dos moradores, ainda puros e livres da praga da ambição. Seus poemas, presentes surpresa, lembranças inesperadas e sempre marcadas pela originalidade. Nunca seguia e nem copiava ninguém, era sempre ele mesmo.cimaom as lágr

Mesmo depois de tantos anos passados, ainda não estou pronta para falar de meu pai. A emoção, a saudade ou seja lá o que for me deixa com a alma embargada e as lágrimas a me correr pelo rosto não me deixam sequer escrever.

Como as rosas brancas eram suas preferidas, plantei no meu jardim para ele. Essas fotos foram tiradas em 10/02, dia do aniversário dele, achei apropriado publicá-las hoje, nesse arremedo de homenagem a alguém que tanto amo e ainda é tão presente em minha vida e sempre me consola e apoia nos momentos mais difíceis.

Senhor , como sempre fiz a cada momento em que saía ou chegava, ao deitar ou levantar, beijo-lhe as mãos e peço que me abençoe, e de onde estiver continue a velar por mim até o dia em que novamente nos encontraremos.

Sua sempre tão amada filha.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Pão de frios

 

Mãe sempre tem orgulho dos filhos, não importa que idade tenham. Não tenho a mínima vergonha de confessar que sou uma super, extra, mega mãe coruja. Claro que vejo os defeitos delas, só não dou a ninguém o direito de falar deles. Todos têm que achá-las lindas, maravilhosas, prendadas, as mais mais de tudo. Se não for assim , pronto já começo a achar a pessoa meio vesga, de verruga no nariz etc.  Se alguém quiser privar de minha amizade tem que gostar de minhas filhas ou pelo menos fingir, mas com uma performance de Katharine Hepburn, caso contrário não me convence.

Sou coruja mas não sou cega e sei das habilidades de cada uma e por isso mesmo quase explodi de orgulho quando minha filha nº 1, justamente a menos prendada em assuntos culinários me trouxe um pão feito por ela.  Todo mundo sabe que sou muito severa em minhas avaliações sobre pão, justamente porque nesse quesito espero chegar um dia à perfeição. A cada receita que crio tento me superar tanto em matéria de sabor como de textura , aroma e beleza. Isso mesmo admiro a beleza de um pão como se fosse de uma flor, obra prima da natureza.

Coloquei o pão sobre a mesa e comecei meu julgamento. A  cor dourada estava linda e convidativa;ao aroma rescendendo à mistura de farinha e fermento que sempre me encanta, juntava-se o perfume do orégano, tomate, pimentão e cebolas.

Preparei um café, sentei-me e calmamente comecei mordiscando uns pedacinhos da crosta, maravilhosa, crocante sem ser dura  e ao mesmo tempo macia e aerada.  Quando cheguei ao recheio já havia me rendido, o sabor do queijo e do presunto aliados ao pimentão ficaram perfeitos e ainda havia cebola e tomates. Perfeito.

Suspirei e  devorei o resto da fatia muito feliz , afinal minha vida não tem sido em vão se tenho conseguido transmitir à pessoas que fazer pães não é um trabalho, é um ato de amor.

Você me fez muito feliz minha filha, parabéns!

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Pão de improviso



   Já era tarde, estava cansada e quando fui verificar minha despensa descobri que, com exceção da farinha para pães e o açucar mascavo, todos os outros ingredientes eram insuficientes para a receita de pães que pretendia. Farinha integral, pouca, farelo de trigo, pouco; farinha de centeio, nenhuma; e assim por diante,  fui ficando então sem opção. O jeito foi separar o que tinha , colocar na bancada e tentar inventar alguma coisa com eles. Pelo menos farinha boa eu tinha, então foi fácil, juntei leite, creme de leite, um pouquinho de açucar, sal, 1 ovo e fermento . Como era uma coisa muito experimental, pus na MFP no ciclo massa, assim se não desse certo ao menos não teria cansado meus braços.
  Tive sorte, a massa ficou com ótimo aspecto, deixeii levedar dentro da MFP mesmo e só tirei para modelar. Fiz redondo, pincelei com ovo  e azeite e polvilhei com gergelim branco e preto. Ficou delicioso, pena que não deu para tirar foto depois de cortado, acabou antes . Os genros quiseram fazer experiências, tais como uma fatia com queijo, outra com geléia de manga, depois com manteiga etc. Não sei se o pão ficou pequeno ou a fome deles é que estava grande. Como não anotei a quantidade dos ingredientes que fui acrescentando, vou ter que fazer novamente e só então poderei postar a receita.
Ficou aquele pão de miolo bem macio como um pão de forma tradicional.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Finalmente meus gansos alçaram voo

 

Terminei ontem um dos projetos mais audaciosos que já me atrevi a fazer até agora. Sempre que me proponho a realizar um trabalho passo por um processo de interiorização é quando planto a semente em minha mente. Pacientemente, espero que ela germine e só então começo a fazer os planos, tais como escolha dos tecidos , cores e texturas. Separo os tecidos , vou colocando aleatoriamente, alterando sempre a posição , fotografo, por vezes utilizo o EQ 6, até chegar a um momento em que se acende uma luz e aí dou uns pulinhos, rio, canto ou faço a dancinha do quilt para demonstrar toda minha satisfação.

Parto então para a execução que às vezes demora devido à complexidade do modelo escolhido. Sempre tenho três projetos em andamento para não ficar entediada e tentada a abandonar algo no meio do caminho. Quando canso de um, passo a outro renovando assim a energia para retornar. Aprendi isso com uma professora australiana e dá muito certo, pelo menos para mim.  Um dos projetos é o principal, os outros são menores e a função deles é desanuviar a cabeça em momentos de cansaço. Só inicio outro projeto grande quando termino o iniciado. Disso não abro mão para manter um mínimo de organização mental.

Fiz uma colcha tamanho queen, talvez com a intenção inconsciente de comprar uma cama maior no futuro.

O próximo passo agora é o quilt, que será feito por um profissional especializado. Quando voltar posto as fotos para aí então mostrar toda a beleza do trabalho pronto.

Iniciarei agora certamente projetos ainda mais difíceis já que esse foi vencido e sofro de uma síndrome inominada que é sempre dar passos mais altos. Não sei aonde vou chegar, mas espero que seja bem lá no alto, como os gansos que acabei de fazer.

Patchwork da Mommy



...um lugar para se falar de patchwork, quilt, receitas culinárias,gatos, plantas e o que mais vier...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...