sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Torta de carne

 

Há ocasiões em que ao final de uma refeição notamos que, ou os convidados comeram pouco, ou erramos na quantidade e aí o que fazer com as sobras? Todo mundo sabe que sou radicalmente contra desperdícios, assim estou sempre inventando alguma receita para utlizar o que foi feito em excesso. Um truque excelente e que utilizo muito, é congelar o que sobrou, bem acondicionado para utilizar alguns dias depois. Ninguém jamais saberá que o que está saboreando, um dia já foi sobra de outra refeição.

Há uns dez dias fiz um assado de contra-filé para o jantar e como vieram menos pessoastorta carne 002 que o esperado, acabou sobrando. Tirei a carne so molho, fatiei, acondicionei em um refratário e cobri com o molho. Vale lembrar que  não faço molho engrossado com amido, prefiro reduzir em fogo baixo, o que me permite congelar sem problemas. Ontem finalmente tirei a carne do freezer e a transformei em recheio de torta. Primeiro desfiei grosseiramente, não gosto de recheios que a gente não sabe bem o que está comendo. Temos dentes para mastigar, deixo então meus recheios com pedaços e não uma pasta. Refoguei uma cebola picada em 2 colheres de azeite, acrescentei a carne já desfiada, champignons fatiados, ervilhas congeladas que também já tinha, salsa, cebolinha, o molho, provei o tempero, vi que não precisava acrescentar mais nada, tirei do fogo, acrescentei azeitonas pretas, que poderiam ser verdes, mas eu só tinha pretas. Sempre acho que em matéria de azeitonas é uma questão de gosto. O recheio deve estar bem frio para ser utlizado. Preparei a massa.

Ingredientes

300 g de farinha de trigo

200g de manteiga sem sal

1 ovo inteiro (sem casca, claro)

1 colher, das de café, de fermento químico

2 colheres de água.

As chamadas massas ricas, que levam muita manteiga, devem ser manuseadas o mínimo possível. Apenas o suficiente para agregar os ingredientes. Pessoalmente prefro usar o processador na função pulsar.  Envolver a massa em um plástico e levar à geladeira por cerca de 1 h para ficar firme.

Dividir a massa em 3 partes, com a primeira forre o fundo da forma, com a segunda as laterais. Fure bem com um garfo, pincele com uma clara e leve à geladeira por alguns instantes, isso vai impermeabilizar a massa impedindo que ela absorva o molho do recheio, ficando assim mais crocante.

Colocar o recheio, uma leve camada de queijo ralado, utilizei parmesão, mas o Minas curado também fica bom e cobrir com o restante da massa. Fica mais fácil abrir a massa entre 2 plásticos, evita que grude na bancada ou no rolo. Para pincelar utilize o restante da clara e 1 gema com algumas gotas de azeite.

Esse tipo de torta pede forno bem quente e preaquecido. No meu forno, que é elétrico, uso 250°. Quando estiver bem dourada e com um aroma alucinante, tire do forno e deixe esfriar sobre uma grade por cerca de 15’ antes de desenformar. Se sua forma não for de fundo falso é melhor servir nela mesmo.

Ninguém, mas ninguém mesmo vai desconfiar que essa torta algum dia foi a sobra de um assado.

Patchwork da Mommy



...um lugar para se falar de patchwork, quilt, receitas culinárias,gatos, plantas e o que mais vier...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...