sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Angel Food

 

 

Vez por outra faço um “Angel Food”, não só porque gosto muito, mas também para aproveitar as claras que infalivelmente acabam sobrando de minhas receitas.  Algumas preparações utilizam somente gemas e como não suporto desperdícios vou guardando as claras para usar posteriormente. Coloco em potinhos, escrevo a quantidade e ponho no frezer, quando bate aquela vontade de um bolo leve, para acompanhar um sorvete, uma mousse ou simplesmente saborear com calda de chocolate e café, lanço mão das minhas claras cuidadosamente armazenadas para essas ocasiões.

Sempre achei a textura desse bolo o quesito mais importante e realmente nela reside a impressão que temos de estar comendo um pedaço de nuvem, tão branquinho e fofo. É bem verdade que ele exige certos cuidados e nas primeiras   vezes que fazemos pode até não dar certo. Tudo depende de alguns truques que nem sempre são revelados pelos especialistas. Já passei por várias decepções como um bolo “murcho” depois de frio, mas como sou teimosa fui pesquisando, principalmente em receitas americanas até conseguir . Descobri assim que existe uma forma própria para assar o Angel Food, com aquele cone do meio maior e que o bolo deve ser esfriado de cabeça para baixo. Assim o vapor vai saindo e o bolo não afunda, também as laterais da forma não devem ser untadas para que a massa não escorregue , parece um tipo subir pelas paredes e ficar grudado e não cair na hora de esfriar.

Aproveitei todas as claras que sobraram das estravagâncias do final de ano e fiz 2 bolos. Como só tenho uma forma de cone central, assei o segundo em uma forma de pão. Na hora de esfriar coloquei um suporte de cada lado, assim ficou suspenso e o vapor pode sair sem prejudicar a textura do bolo.

Ingredientes

1 e 1/4 de xícara de claras

1 1/2 xícara de açucar (usei cristal orgânico, mas o refinado deixa o bolo mais branquinho)

1/4 colher, das de chá, de sal

1 1/4  de colher, das de chá, de cremor de tártaro

1 xícara de farinha de trigo para bolos

1/2 xícara de amido de milho.

100 g de manteiga sem sal, derretida

1 colher, das de chá, de extrato de baunilha

1 colher, das de chá, de extrato de amêndoas

1/2 colher, das de chá, de fermento químico em pó

O primeiro passo é preparar a forma, que deve ser untada e forrada com papel manteiga apenas no fundo, para facilitar na hora de desenformar.

Peneire juntos a farinha de trigo, a maizena, o cremor de tártaro, o sal e o fermento, por 3 ou 4 vezes, até que estejam bem soltinhos e homogêneos. Coloque as claras na batedeira e bata até espumarem, vá acrescentando o açucar colher por colher. As claras não devem ficar secas, mas volumosas. Despeje a manteiga derretida, os extratos de baunilha e amêndoas e bata só até incorporar.  Com uma espátula vá acrescentando os ingredientes peneirados com delicadeza para as claras não perderem a leveza.

Com todo cuidado coloque a massa do bolo na forma, é melhor usar uma colher grande para que não se perca o ar. Dê uma leve batida só para firmar e leve ao forno preaquecido a 180 ° por 10’, reduza para 150° e deixa mais 5 minutos. Vire a forma de cabeça para baixo sobre uma grade para que esfrie bem. Só desenforme depois de frio.

Só para variar polvilhei um pouco de chocolate meio-amargo sobre o 2º bolo antes de levá-lo a assar.  Ficou bonito, o sabor não sei porque congelei para uma daquelas ocasiões inesperadas.

Servi o Angel Food com ganache de chocolate e mel. Algumas pessoas põem cobertura, mas eu prefiro simples, acompanhado de ganache, calda , sorvete ou mesmo uma geléia de frutas.

Patchwork da Mommy



...um lugar para se falar de patchwork, quilt, receitas culinárias,gatos, plantas e o que mais vier...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...