terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Caminho de mesa em Log Cabin

 

 

O Log Cabin, todos já estão cansados de saber é um dos meus blocos preferidos, quase ganha de todos, principalmente pela versatilidade. Pode ser empregado em uma colcha com  bem tradicional e também ser estilizado para produzir um trabalho com aspecto de modernidade.

Gosto muito disso, trazer um modelo bem tradicional para o presente, usando para isso apenas outra nuance ou mesmo mudando a textura dos tecidos, fazendo que sobressaia um certo ar de vanguarda, sem no entanto descaracterizar e nem romper de vez com as raízes  históricas do bloco.

Esse caminho foi feito naquele esquema, nada de comprar tecidos, nem mesmo forro comprei, tudo utilizado nele foi garimpado nas gavetas da cômoda do ateliê.  Alguns bem antiguinhos, outros mais modernos, mas nenhum com menos de um ano.

Nunca imaginei que tivesse tantos tecidos, ou melhor, eu bem que sabia, mas guardava tudo bem lá no fundo da memória para não assustar a mim mesma.

Por mais que trabalhe não consigo sequer desocupar uma gaveta e tenho me esforçado, minhas costas que o digam.

 

Esse trabalho, além de seguir a determinação de só utilizar materiais que já tinha,  contempla também o outro propósito que é fazer um projeto de cada revista da Sueli.  E olha que dessa vez ela judiou de mim. A revista é alemã. Além da dificuldade normal, eu não sei nadica de alemão.

Tive então que acionar meus superpoderes de maga da adivinhação e botar o Tico e Teco para fazer hora extra. Sabe aquela coisa de ficar olhando as figurinhas e tentando descobrir o que significam?  Até isso fiz.

Valeu a pena, gostei do resultado que não ficou nada a dever ao modelo. Fiquei tão feliz que quiltei a faixa da borda com corações.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Painel Jardim

A filhota quando veio de Paris me trouxe um livro de receitas e me propôs o desafio de fazer todas as receitas. Fiz algumas, são excelentes, mas não tenho comensais suficientes para provar nem minhas receitas rotineiras, imagine uma porção delas. Então recolvi dar um tempo no livro e eu mesma me propus outro desafio.

Minha amiga Sueli adora comprar livros e revistas e eu adoro ler e traduzir os livros e revistas que ela compra, então pensei… vou fazer ao menos um projeto de cada livro ou revista que cair em minhas mãos. Os bonitos, está claro, aos mais ou menos tentarei dar um ar de graça antes de executar.

Como gosto mais de coisas complicadas, creio que não vai ser muito fácil.

De qualquer maneira vou fazendo e publicando à medida que terminar, talvez vocês se sintam incentivadas a fazer o mesmo. Gosto tanto de desafios que provavelmente me sairei bem.

Estou também montando um curso incentivada pelas pessoas interessadas  que têm me escrito. Gostaria de receber sugestões.

Estou separando modelos de blocos tradicionais e que as pessoas às vezes têm certa dificuldade em fazer, para acabar de vez com a hesitação de todos. Minha opinião é que sabendo concluir bem os blocos mais usuais é possível criar inúmeros trabalhos maravilhosos. E depois é só entrelaçar as cores e os diversos blocos para que surjam painéis, almofada, toalhas, colchas e o que mais a imaginação permitir.

Falta ainda o quilt, aliás estou com uma enorme quantidade de trabalhos na fila para quiltar, mas gosto de publicar o antes e o depois de quiltar para que todos percebam bem a diferença de um trabalho depois de pronto e bem acabado.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Porta-pão

 

No dia das mães do ano passado, meu neto Henrique me presenteou com um porta-pão que adorei. Aí ele me disse que só havia encontrado um para comprar e se eu podia fazer outro igual para a mãe dele. Prometi e depois esqueci. Era feito em tecido xadrez e com bordado em ponto cruz.

Às vezes vamos postergando os afazeres e acaba assim, quase um ano depois e nesse afã que estou de aproveitar tecidos que sobraram de outros projetos, é que fui tirar o molde do outro e fazer.

Fiz algumas alterações, como por exemplo, excluindo o babado, não sou muito de babados ou outros detalhes rebuscados. Prefiro um visual mais clean.  Ah, também tinha em mente o propósito de utilizar tecidos que nem sempre tinham a metragem suficiente.

Outro detalhe que havia observado é que a peça não mantinha a forma, gostaria que fosse mais estruturada, forrei então com manta resinada e ficou perfeita. Utilizei dois tecidos, ambos em estilo country, que haviam sobrado de outros projetos.

Ficou tão lindinho que me pus a pensar, por que não fazer um novo para mim também?  E se eu conseguir aproveitar os retalhos do jogo americano que fiz para o café da manhã?  Lá fui er atrás de juntar todos os pedacinhos que ainda restaram, emendar e depois montar  meu porta-pão.

Esse deu um pouco de trabalho porque tive que adequar o trabalho  aos tecidos que ainda tinha, que eram pedaços irregulares e pequenos. Porém depois de pronta a peça as emendas ficaram imperceptíveis.

Como utilizei os 3 tecidos do jogo americano, o porta-pão completou perfeitamente minha mesa de café da manhã. 

Patchwork da Mommy



...um lugar para se falar de patchwork, quilt, receitas culinárias,gatos, plantas e o que mais vier...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...