domingo, 9 de outubro de 2016

O direito de ser diferente

 

600452_554410301263184_503784307_n

Fala-se muito em inclusão, escolas inclusivas, parques e clubes inclusivos etc.

Quem observa à distância imagina que é tudo uma maravilha, mas à medida que nos aproximamos a visão se alarga e o que vemos realmente é o preconceito enrustido e mal disfarçado.

As pessoas não gostam de diversidade, preferem se mirar no espelho, narcisistas inatas que são. O que agrava é serem esses princípios utilizados para nortear a educação familiar. As crianças quando chegam à escola já trazem consigo o vírus maligno da adoração ao espelho.  O que não é parecido com elas não presta e não é digno sequer de ser incluído em seu círculo restrito.

Como criar um mundo inclusivo se a exclusão começa em tão tenra idade?

Até algum tempo quando se falava em preconceito, geralmente o interlocutor interpretava com indivíduos de outra etnia ou cor como os excluídos. Isso porque os nascidos com alguma anomalia física ou mental eram criados em reclusão. A eles era vedado o mundo exterior como se culpados fossem de sua condição.

Pais egoístas e idólatras exibiam seus filhos “perfeitos”, por falta de informação e amor-próprio quem não possuía esse rótulo era renegado às sombras.

Olhando mais a fundo percebemos que as pessoas parecem ter medo do que é diferente. Procuram andar todos iguais. Corpos esculpidos de preferência pelos mesmos cirurgiões, cabelos  loiros ou com luzes, roupas de determinadas grifes, parece ser o sonho idealizado.

Faz-me lembrar a China de Mao, que a maioria nunca deve ter ouvido falar. Não é de bom tom falar de coisas antigas. O lema é desconhecer o passado. A experiência é extremamente mal vista .

Voltando à inclusão fico a imaginar o mal estar que cada ser “diferente”  guarda no fundo de sua alma ao se defrontar com a “ normalidade

Deus não criou normais, criou seres com capacidade de se auxiliar e se complementar para promover o bem estar de todos. Deus não criou o egoísmo, mas também não criou o cabresto.

A liberdade é o dom maior que temos. Quem se sente livre jamais julga os outros  ou se sente de qualquer forma superior. Quem é livre acolhe o outro.

Em minha opinião a beleza do mundo consiste justamente em sua diversidade. Nada é igual e nem uniforme e faz-se urgente criar os filhos com essa visão para que um mundo melhor possa florescer.

Talvez para nos testar, a natureza tem nos brindado a cada dia com mais diferenças, desconfio que muitas delas devido à ambição do bicho homem.

Ilustro este post com uma imagem da natureza porque não há nada mais diverso do que a Mãe Natureza.

Patchwork da Mommy



...um lugar para se falar de patchwork, quilt, receitas culinárias,gatos, plantas e o que mais vier...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...